Os exercícios físicos são todos os tipos de movimentos do corpo, que de forma contínua, produzem um gasto energético. São atividades físicas que podem aumentar ou manter a capacidade de realizar qualquer tipo de atividade cotidiana com o menor esforço e muita tranquilidade, ou seja, proporcionam uma boa aptidão física, e tem o objetivo de alcançar um ótimo estado de saúde.

Como funciona o corpo durante os exercícios físicos

Qualquer tipo de exercício, independente da frequência, tem como resposta, a respiração de uma forma bem mais profunda e rápida, o coração acelerado, os músculos doloridos, e a transpiração. E todos utilizam grandemente os músculos, que conforme vão sendo trabalhados, exigem do resto do corpo. Por exemplo, quanto mais esforço se faz, mais o coração bombeia o sangue para auxiliar os músculos, e o estômago diminui sua atividade para não retirar a energia necessária.

Para funcionar, os músculos precisam de uma substância chamada, trifosfato de adenosina (ATP), uma fonte de energia produzida pelos próprios músculos, durante a prática de exercícios. Essa produção ocorre quando o corpo fornece oxigênio para os músculos, e elimina subprodutos metabólicos e o calor. Quanto mais forçamos e mais intenso se torna o exercício, mais o corpo exige de nós, quando nos sentimos exaustos, é por não conseguirmos mais fornecer ao músculo o que precisa. E para atender corretamente à todas as necessidades, é preciso unir o coração, os vasos sanguíneos, os pulmões, o sistema nervosos o fígado, e a pele. Por isso, é importante adquirir um bom condicionamento físico, e manter uma frequência de exercícios.

Como começar e com que frequência praticar?

É importante começar aos poucos, não adianta resolver hoje que vai praticar exercícios, e amanhã fazer uma hora de esteira e quase desmaiar. O que importa é se comprometer e tomar a iniciativa de pelo menos começar a mudar seus hábitos, é preciso ir aos poucos para que o corpo vá acostumando, criando uma certa resistência, e com o tempo já será possível aumentar a frequência e a intensidade.

Mais importante ainda é manter uma regularidade, fazer uma caminhada duas vezes por mês não vai adiantar muito, pois o corpo precisa de uma certa frequência para começar a responder de maneira benéfica. Portanto, faça exercícios físicos pelo menos três dias por semana, de forma alternada, e quando possível, aumente para quatro ou cinco dias, mas sem ultrapassar os limites do corpo.

Inicialmente, o tempo não tem um papel tão fundamental assim. Comece a fazer pelo menos 20 minutos diários de exercícios, e de acordo com seu condicionamento, vá aumentando. Uma hora por dia, é ideal para uma rotina saudável de exercícios.

Não ache que é tarde para começar a se exercitar, todos precisam dos benefícios e da qualidade de vida que as atividades físicas proporcionam. Os primeiros dias são os mais difíceis, cansa mais, dói mais... mas não desanime, gradativamente seu corpo irá pedir mais, e você terá resistência para respondê-lo.

Alongamento

O alongamento muscular é a primeira coisa a se fazer antes de qualquer tipo de exercício físico, pois é preciso aquecer e esticar a musculatura, aumentando a flexibilidade, para que haja uma maior movimentação da articulação comandada por cada músculo. Além disso, o alongamento previne lesões, proporciona mais agilidade e elasticidade, relaxam o corpo, facilitam a circulação sanguínea, e melhoram os movimentos. É uma preparação extremamente necessária, para que o corpo responda bem aos exercícios. Mas, o que muitos não sabem, é que depois de praticar atividades físicas, também é muito importante se alongar, pois é esse alongamento final que não deixa os músculos ficarem encurtados, e por ser no fim, há a eliminação de ácido láctico, evitando dores musculares.

O encurtamento das fibras musculares ocorre independente da frequência ou intensidade com que se praticam as atividades físicas, é algo natural do corpo, mas quanto mais nos alongamos, mais flexibilidade temos. Quem não se alonga com frequência, muitas vezes se queixa de dores lombares, isso ocorre por conta do encurtamento da musculatura das costas e posterior das coxas, associado também à musculatura abdominal fraca.

Os alongamentos podem e devem ser feitos a qualquer hora, não somente antes e depois de praticar um exercício, mas também após ficar muito tempo sentado, assistindo TV, no trabalho, etc. Outra alternativa para uma vida saudável, é se alongar levemente ao dormir e ao acordar, para aliviar as tensões acumuladas.

É normal sentir dor enquanto se alonga, pois você está “puxando” o músculo que está “curto”, alongue até o limite, mas não tente ultrapassar, para evitar qualquer tipo de lesão. A respiração também é um fator importante, respire fundo, pois aumenta o relaxamento muscular. Sustente cada exercício do alongamento por 10 a 30 segundos, e faça sempre movimentos lentos e suaves.

Mas antes de tudo isso, é fundamental saber fazer o alongamento de forma correta, para não prejudicar o corpo. Se possível, tenha ajuda de um profissional.

Topo